Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Goiatuba -

Fernando afirma que enxugamento das despesas será mantido e ampliado

O prefeito Fernando Vasconcelos (PP) reassumiu na última quarta-feira (8) o cargo de prefeito da cidade de Goiatuba. Fernando foi recebido por Elioenay Freitas Magalhães que retornou a condição de vice-prefeito e os assessores direto da administração municipal.

A solenidade foi rápida e prestigiada também por amigos e parentes de Fernando. Na oportunidade, o Elioenay fez a entrega das chaves da Prefeitura Municipal a Fernando, que na oportunidade afirmou: “Revigorado e energizado. Vai ser difícil, mas com o apoio volto com honra. Minha família também são vocês. A administração estará transparente para atender a população. Devolvemos dinheiro para a prefeitura quando vereador, a situação era favorável, sem crise. Os municípios estão em situação ruim no Brasil. O que aconteceu foi bom pra ver onde é preciso melhorar. Vamos somar. Torcer para fazermos mais e deixar uma marca positiva. Eu não sou ladrão. Nem recebi isso de meus pais. Obrigado a todos. Retornar de forma positiva”, declarou.

Já na manhã de quinta-feira (9), Fernando concedeu entrevista coletiva à imprensa goiatubense, onde expos sobre os problemas que acarretaram a crise que gerou seu afastamento, apresentando relatório emitido por assessoria jurídica previdenciária, onde mostra que os parcelamentos no GoiatubaPrev correspondem desde 2002 e que até sua ascensão ao cargo de prefeito em 2013, o débito nominal da Administração Municipal com o Instituto era da ordem de R$ 10,5 milhões, o qual, se atualizado para os dias de hoje de forma a manter o equilíbrio e atuarial chega a cifra de R$ R$ 19 milhões.

Durante a entrevista, Fernando ressaltou que medidas austeras e enxugamento das despesas para o equilíbrio financeiro entre receita e despesas estão sendo tomadas desde o final de 2014, quando iniciou o processo de demissões de cargos comissionados e foram ampliados no início de 2016, bem como seguidas por Elioenay durante os 40 dias em que esteve à frente da administração municipal serão mantidas e ampliadas. “Mais medidas de ajustes terão que serem tomadas para equilibrar receitas e despesas, que é o grande gargalo das administrações, é bom afirmarmos que a crise não é do município de Goiatuba, é dos municípios brasileiros, uma crise nacional e a população precisa  ficar bem ciente disso e estamos criando uma nova metodologia de transparência desses números que as vezes são questionados e que damos plena e total razão a esses questionamentos”, afirmou.
Confira íntegra da entrevista em goiasinterior.com.br

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior