Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Itumbiara -

Polícia desmonta quadrilha paulista

Gilson, Aleta e Thiago, presos pela Polícia Civil após cometerem crimes em Itumbiara

A Polícia Civil apresentou na manhã desta segunda-feira (16), três integrantes de uma quadrilha paulista que estavam atuando em Itumbiara e promovendo o terror em famílias de classe média da cidade. A prisão aconteceu após 4 meses de investigação que foi coordenada pelo Delegado Rogério Moreira da Silva, Policiais do GEPATRI-Grupo Especial de Repressão a Crimes contra o Patrimônio  de Itumbiara, com apoio de Policiais do GENARC; deflagraram no último domingo a “Operação Sapopemba”, ação policial contou com 10 agentes de policia e 3 delegados, sendo que  o alvo foram os assaltantes vindos de São Paulo-SP, mais precisamente do  Bairro Sapopemba, na Zona Leste da capital paulista, para furtar e assaltar residências na cidade goiana.

A quadrilha era altamente especializada, sendo que o chefe dos marginais (Gilson), alugou uma casa na cidade no Bairro Nova Aurora, bem ao lado da Igreja Nossa Senhora das Graças e a partir do endereço lançavam as ações sempre de madrugada, sendo seus alvos residências de alto padrão nos bairros de Furnas, Primavera, Village, Imperial, Alto da Boa Vista e Jardim América; diante disso, a quadrilha passava alguns dias praticando crimes em Itumbiara e depois retornava para São Paulo; passando outro curto período na capital paulista, em seguida retornavam a Itumbiara e assim iam alternando temporadas criminosas em solo goiano e escondendo em São Paulo.

Os suspeitos membros da quadrilha agiam de duas formas, a primeira delas visava casas cujos proprietários estivessem ausentes, sempre durante a madrugada, em que os marginais usando michas e gazuas (ferramentas profissionais, próprias para chaveiros), conseguiam abrir trancas e fechaduras e ingressando nas residências e subtraindo bens móveis como joias, dinheiro, perfumes, relógios, tênis, roupas de marca, eletrônicos como tablets, notebooks, celulares, tvs de led e lcd, computadores, máquinas de lavar quintal, fornos de microondas, adegas climatizadas, ar condicionado, quadros, malas, vasos, faqueiros de prata; enfim, praticamente todos os bens móveis de valor de uma casa.

Na segunda forma de ação da quadrilha, a mais cruel, e que aconteceu pelo menos 4 vezes em Itumbiara, os marginais usavam das habilidades de Gilson com suas michas e gazuas para entrar nos imóveis de madrugada com os moradores dentro de casa; nesses casos as vítimas relataram ao GEPATRI que simplesmente suas casas não foram arrombadas, não ouviram barulho algum e mesmo assim eram acordadas pela própria quadrilha já dentro de seus quartos com arma em punho e apontadas para suas cabeças; a partir do momento que as vítimas eram rendidas os bens roubados.

A partir do registro dos primeiros casos, o GEPATRI iniciou as investigações, e os Policiais Civis constataram que a quadrilha chefiada por Gilson estava novamente em Itumbiara  e já atuando, assim foi montada uma força tarefa e na ultima madrugada (por volta das 03:30h), os marginais estavam sendo seguidos desde a noite anterior e  foram surpreendidos ao retornar para casa, no Bairro Nova Aurora e tiveram o imóvel invadido pelos Policiais Civis.

No local foi preso o chefe da quadrilha Gilson de Joani Almeida, 31 anos, sua esposa Aleta de Carvalho Joani, 32 anos, e Thiago Gonçalves Vieira, 23 anos, vulgo "MENOR". Na casa foram apreendidos inúmeros bens furtados e roubados em Itumbiara (jóias, óculos de sol, bolsas, perfumes, relógios, tênis, roupas de marca,  notebooks, celulares, tvs de led e lcd, computadores, maquinas de lavar quintal, fornos de microondas, adegas climatizadas, ar condicionado, quadros, malas, vasos, faqueiros de prata e muitos outros objetos de valor), uma pistola cal 7.65mm, um kit completo com dezenas de michas e gazuas profissionais, apropriadas para abrir qualquer tipo de fechadura.

Ainda durante a ação policial, no curso da madrugada, a residência de uma das vítimas foi localizada e constatou-se que esta havia sido furtada poucas horas antes, bem como já foi localizada ao menos mais uma vítima que compareceu no fim deste domingo na sede do GEPATRI e já reconheceu parte de seus bens.

Pesquisando a vida dos marginais presos, constatou-se que Aleta não inha passagens policiais, já Gilson tem passagens por furto, roubo e receptação, Thiago por sua vez tem passagens por furto e roubo, ambos em São Paulo-SP.

O Trio foi autuado por furto qualificado pelo concurso de agentes e emprego de chave falsa, porte de arma, crime de associação criminosa armada e ainda serão posteriormente, no curso do inquérito policial indiciados pelo crime de roubo circunstanciado (assalto) nos casos em que ocorreram violência e ameaças contras as vítimas.

Ferramentas profissionais utilizadas para abrir portas e trancas

Arma apreendida em poder da quadrilha

Diversos aparelhos elétro-eletrônicos encontrados com a quadrilha

Quadros, bebidas, aparelhos eletrônicos

Roupas, calçados, malas

Teclado e equipamentos diversos

Jóias, facas, frasqueiras, diversas bolsas

Celulaares, relógios, óculos, perfumes, tablets

Diversos aparelhos apreendidos com a quadrilha

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior