Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Vicentinópolis -

Produtores estão preocupados com a situação da JR

Os produtores rurais de Vicentinópolis e toda região estão preocupados com o fechamento da empresa JR Grãos e Logística que encerrou atividades há poucos dias. A empresa era uma das principais operadoras de logística, armazenagem e comercialização de grãos naquela região.

Segundo nossa reportagem conseguiu apurar, mesmo diante de muita especulação e boatos, o número de produtores que possuem negócios em aberto com a JR Grãos e Logística pode passar de 100. Na última semana, a Federação da Agricultura do Estado de Goiás (FAEG) e o Sindicato Rural de Vicentinópolis promoveram uma reunião e convidaram os produtores e a direção da empresa, onde cerca de 80 produtores compareceram e um número expressivo contactou a organização justificando a ausência. Nenhum represente da empresa compareceu ao evento para dar alguma explicação oficial a seus clientes sobre a real situação da JR.

A JR Grãos e Logística foi criada em 2007 e de lá para cá experimentou um crescimento extra-ordinário, oferecendo aos produtores serviços de transporte para a produção e também atuando na compra e venda dos grãos produzidos na região. Com o crescimento, a empresa conseguiu expandir seus negócios e ultimamente atendia produtores de diversos municípios em todo o país.

O presidente do Sindicato Rural de Vicenti-nópolis, Edson Lopes Pereira (foto), revelou à reportagem que “a situação é preocupante, não temos números exatos de produtores atingidos pelos problemas da empresa, muitos produtores estão perdendo dinheiro e alguns já procuraram até a polícia, onde registraram ocorrência e encaminham para a FAEG que está acompanhando o caso junto a Secretaria de Segurança Pública”, revelou.

Para o presidente, “a falta de informação oficial prejudica o trabalho, mas estamos todos atentos, o Sindicato, a FAEG, este é um problema que deixa todos apreensivos, estamos contabilizando uma perda muito grande com a safrinha, e ninguém espera este problema com a JR”, concluiu.

A reportagem não conseguiu contato com a direção da empresa e no site oficial da JR também não tem nenhum comunicado sobre a situação e o que a empresa está promovendo para resolver o problema.

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior