Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Saúde -

Câncer de Cólon, Um Drama Evitável

Câncer de Cólon, Um Drama Evitável


A medicina vem evoluindo a passos largos, e a tecnologia a cada ano, permite que se tenham recursos milagrosos no objetivo de salvar vidas humanas.
No entanto, muito mais se faria, se houvesse maior esclarecimento das pessoas, e em especial entre nós, brasileiros, ainda tão incultos na prevenção de doenças.
A medicina tem feito sua parte, mas as vezes sua atuação chega atrasada, porque o paciente já veio a ela , meio vencido pela doença.
Nesses meus anos de profissão, tenho visto muitos dramas, que poderiam ter sido evitados, se sinais corriqueiros de alarma, não tivessem sido menosprezados.
E já tenho visto isso, em pessoas cujo padrão de vida, não permitia pensar que ali faltassem recursos financeiros.
É claro que não podemos ignorar, que quando se trata de saúde pública, as carências são maiores, e há falta de recursos financeiros e materiais, para suprir todas as necessidades do cidadão.
No caso aqui abordado, o câncer de cólon, ele não chega assim tão silencioso, sem que haja alguns sinais de alarme.
Já  me foi possível atuar em certos casos, de final muito  triste,  em que a pessoa minimizou sintomas em que deveria procurar o médico, e se tratar precocemente, enquanto a moléstia ainda era facilmente eliminável.
Um exemplo disso, são os sangramentos anais, em que o paciente minimiza, julgando erradamente, se tratar de um simples transtorno hemorroidário.
Quando chega ao consultório médico, e então, depois de acurado exame, é submetido a uma endoscopia chamada de colonoscopia, em que o intestino grosso é todo vasculhado, e as possíveis lesões fotografadas, se tem a desagradável surpresa de  encontrar um avançado câncer de cólon.
Aí, o drama  já está se consumando, porque esse é um câncer que se espalha rapidamente, e as vezes o tratamento cirúrgico já não alcança os resultados esperados.
Cada pessoa não pode se esquecer que seu maior bem, é a própria saúde, e que isto é inteiramente de sua responsabilidade

Dr. Armando Campos de Oliveira, Membro titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

 

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior