Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Política -

"PMDB apresenta maior unidade", diz Ailton

z


Presidente da Câmara Municipal, vereador Ailton Caetano

"PMDB apresenta maior unidade", diz Ailton

 

 

Durante entrevista para avaliar o primeiro semestre do Poder Legislativo, o presidente da Câmara Municipal de Goiatuba, vereador Ailton Caetano Pereira (PMDB), falou do desempenho do legislativo municipal, do futuro político do município, das eleições de 2012 e de seus passos.

Na avaliação, ele fala do potencial de cada grupo político, mas defende que seu partido mostra maior maturidade eleitoral e que conquistou isso a duras penas, todavia, atualmente, apesar das correntes de ideologias diferentes que existem o PMDB mostra ser uma unidade. Acompanhe os principais trechos da entrevista.

GI: Qual sua avaliação deste semestre do Legislativo?

Ailton: Creio que foi um dos mais produtivos da história da Câmara de Goiatuba. Foi possível debater e aprovar importantes projetos que vão de encontro com os interesses da coletividade.

 

GI: A que você credita esta produtividade?

Ailton: Procuramos dar maior agilidade nos projetos e procuramos a todo o momento tirar de cima deles o debate político, o que tiraria o foco e sua importância, substituindo por um debate técnico e não olhando se o autor era da situação ou da oposição, com isso, a engrenagem fluiu numa velocidade superior, dando ao Legislativo um ótimo desempenho e maior liberdade para que a partir de agora o Executivo coloque os projetos em prática.

 

GI: O debate político atrapalha o desenvolvimento dos projetos?

Ailton: Sim. É que quando passamos a discutir ou debater um projeto apenas com a visão política, restringimos sua importância aos interesses de determinados grupos, ora interesse da situação, ora da oposição e isso não é bom, esquecemos que eles precisam ter caráter de alcance coletivo, abrangência superior aos interesses de grupo A ou B.

 

GI: Qual ou quais projetos que passaram pelo Legislativo neste período e que são relevantes?

Ailton: Sem dúvida alguma foram muitos os projetos que aprovamos e que vão somar para o bem estar de nossa comunidade. Mas é claro que alguns irão se tornarem mais importantes a médio e longo prazo. Isso acontecerá naturalmente. Entendo que projetos como Plano de fomento da economia, o projeto que concede até 180 dias de licença maternidade para as servidoras, o que concedeu reajuste e criou data-base para os servidores, o projeto que criou o serviço de transporte coletivo que será licitado pelo município brevemente, o projeto de recuperação fiscal que está dando oportunidade para o contribuinte regularizar sua situação junto à Prefeitura, estão entre os que vão impactar positivamente para nossa comunidade.

 

GI: Mudando de assunto, será o futuro político de Goiatuba?

Ailton: Vejo muito amadurecimento tanto por parte do PMDB quanto pelos partidos que fazem oposição. Isso deve permitir um debate mais voltado para projetos e não de ideologismo e agressões, como foram em pleitos anteriores. A se confirmar esta nossa visão, a qualidade do debate aumenta significativamente e dará ao eleitor uma condição melhor de participar do processo eleitoral.

 

GI: Como podemos mostrar para o eleitor que há esse amadurecimento?

Ailton: Antes, os partidos deixavam para falar de um processo sucessório só nos últimos meses, de modo que era impossível a construção de um projeto, de propostas. Hoje, tanto o nosso partido, como os partidos de oposição já falam abertamente sobre o processo eleitoral que acontecerá daqui há 15 meses, ou seja, é possível construir uma proposta, ouvir a comunidade e preparar um plano dentro desses anseios.

 

GI: Qual a avaliação que você faz dos grupos políticos goiatubenses?

Ailton: Vejo que existem dois grandes grupos, mas sem querer subestimar o valor do outro grupo,  acredito que o PMDB leva certa vantagem por ter maior facilidade em decidir seus candidatos. Por exemplo, hoje, somos três candidatos, além de mim, temos o presidente do partido, vereador Lair Mendonça que está em seu terceiro mandato e o secretário de Obras Fernando Vasconcelos que é vereador pelo quarto mandato. Claro e o partido está aberto para outros nomes, mas qualquer um de nós que estiver em melhores condições será o candidato apoiado pelos demais.

 

GI: Qual a vantagem de se ter menos nomes?

Ailton: A vantagem é simples. Mostra o amadurecimento do grupo. O PMDB possui mais nomes, mas estamos preparados para compor uma chapa forte e com um projeto ambicioso, que aproveitará a condição de cidade pólo para nos tornarmos definitivamente a referência em desenvolvimento sustentável. Isso não significa que os nomes apresentados pela oposição não sejam bons, até creio que eles têm bons nomes.

 

GI: Você acredita que a disputa será polarizada entre um candidato do PMDB e outro da oposição?

Ailton: Acho muito difícil, até porque já a algum tempo, o cenário desenha pelo menos três candidatura, o que é bom para o processo democrático, onde o eleitor poderá ter mais opção, sem contar que acirra menos o processo eleitoral, sem pessoalizar, aumenta a qualidade dos debates, das ideais, dos projetos, evita as agressões pessoais. Eu pessoalmente creio que quanto mais candidatos melhor para o eleitor e para a democracia.

 

GI: Você fala da unidade do PMDB e como ficam os partidos aliados?

Ailton: Tenho certeza que independente de quem seja o candidato do PMDB iremos manter a união que elegeu o prefeito Marcelo Coelho. Não há motivos para desagregar o grupo, essa parceria já deu certo uma vez e continuará dando.

 

GI: Partidos como PT e PP já tem mantido conversações com a oposição.

Ailton: Isso é natural nesse momento. Até o PMDB já foi procurado para alguns diálogos e estamos mantendo-os, de forma que todos têm o direito de ouvir o que cada grupo pensa ou que pretendem cada grupo. Mas tenho certeza que tanto o PT como o PP continuarão conosco.

 

 


Secretário de Obras Fernando Vasconcelos

 


Vereador Lair Mendonça

Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior