Goiás Interior - A notícia como ela é !
×
Política -

Reinaldo vai ao local mais não aceita participar de debate


Paulo Henrique, presidente do Sindicato Rural durante abertura do evento.

Reinaldo vai ao local mais não aceita participar de debate

 

Com pouco mais de uma hora de atraso, o candidato da Coligação “Agora é a vez do povo”, Reinaldo Cândido da Silva (PSDB), compareceu com sua equipe de assessores e correligionários na sede do Sindicato Rural, onde estava agendado para acontecer o debate entre os dois candidatos que disputam o cargo de prefeito da cidade de Goiatuba.

A ausência de Reinaldo no debate já era dada como certa. Segundo uma fonte ligada ao Sindicato Rural, antes de ser agendada a data do debate, os dois candidatos teriam sido consultados e aprovaram a realização do debate, a partir daí a diretoria  informou à FAEG, entidade que coordena os agricultores do Estado de Goiás e criou o projeto “O que esperamos do próximo prefeito”.

Após a confirmação, o Sindicato emitiu oficio convidando oficialmente os candidatos e quais seriam as regras do evento. Na mesma data, o candidato da Coligação “Goiatuba para Todos”, Fernando Vasconcelos (PMDB), assinou o convite, o qual recebeu o protocolo do Sindicato Rural, todavia, orientado por sua assessoria, Reinaldo Cândido não assinou o documento.

Especulou-se nos bastidores político, Reinaldo Cândido que é produtor rural, procurou seu amigo e parceiro político Bartolomeu Braz Pereira (DEM), o “Tim”, que é diretor institucional da FAEG para mudar o formato de debate para sabatina, sob a alegação de que não havia segurança.

Um dia antes do evento, o candidato Fernando Vasconcelos recebeu uma ligação sugerindo a mudança do formato. Na oportunidade, o candidato respondeu que foi convidado para um debate e que estava pronto e se apresentaria no horário e local marcado. Fernando chegou ao Sindicato às quatorze horas, conforme determinava o convite assinado pelo presidente do Sindicato Rural.

Como a legislação eleitoral não permite a realização de debate quando não há acordo entre as partes, nesse caso como só havia 2 candidatos, precisaria de 100% de aprovação, o que não aconteceu diante da recusa de Reinaldo Cândido. O candidato que participou do seminário onde foi feito o diagnóstico para elaboração do documento que seria usado como base do evento, foi convidado para receber sua cópia, assim como o candidato Fernando Vasconcelos. Os dois candidatos não tiveram direito ao uso da palavra.

A não realização do debate criou um clima ruim e também muita baixaria nos bastidores. Foram trocas de acusações e no final quem saiu perdendo, conforme ressaltou o próprio presidente do Sindicato Rural, Paulo Henrique Garcia Cardoso, “foi a democracia”.

 


Fernando Vasconcelos (PMDB) cumprimenta Reinaldo Cândido (PSDB)


Desdobramentos do evento

 

Após o cancelamento do evento, o candidato Fernando Vasconcelos deixou a sede do Sindicato Rural nos braços de seus apoiadores que improvisaram uma carreata que percorreu as principais ruas da cidade comemorando a recusa do oponente.

No dia seguinte, a batalha continuou nas emissoras de rádio e com o apresentador Fernando “M” chegando a extrapolar os limites legais, inclusive acusando que a coligação teria “roubado” documento dentro do Sindicato Rural, o que mais tarde foi desmentido pelo diretor da FAEG Bartolomeu Braz Pereira, no programa do apresentador Glay di Meneses.

Segundo a assessoria jurídica da Coligação “Goiatuba para Todos”, uma série de medidas jurídicas foram tomadas, entre elas o pedido de direito de resposta, já que a Coligação não foi convidada a participar do programa e dar sua versão dos fatos, prevalecendo apenas a versão do apresentador que apoia o candidato tucano.

 


Edições Anteriores
Acesse as edições anteriores do Goiás Interior